Mooc de relações internacionais

Apresentação

O curso aberto de Relações Internacionais é uma iniciativa da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) para proporcionar acesso livre aos conhecimentos produzidos pelo meio acadêmico. O curso se constitui numa proposta de metodologia flexível. Os cursistas podem acessar o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) conforme sua conveniência, coaprendendo entre pares, por meio da participação nos fóruns. O conteúdo está distribuído em múltiplos objetos de aprendizagem. Esta é mais uma empreitada da instituição no universo dos cursos abertos a distância (Massive Open Online Course – MOOC).

 

Identificação
 

  • Nome do curso: Relações Internacionais

  • Modalidade: a distância

  • Carga horária: 60 horas

  • Duração: flexível

  • Área do conhecimento: Administração, Sociologia

  • Público alvo: estudantes universitários, professores, profissionais do setor público e privado, comunidade em geral.

  • Entidade promotora: Universidade Estadual do Maranhão – UEMA

  • Desenvolvimento: Núcleo de Tecnologias para Educação da UEMA - UemaNet



 

Objetivos

 Geral:

  • Propiciar o desenvolvimento das competências para atuar no contexto das Relações Internacionais.

Específicos:

  • Introduzir e discutir os conceitos fundamentais das Relações Internacionais.

  • Compreender o processo de evolução das Relações Internacionais.

  • Identificar as novas perspectivas da Política Planetária.

  • Delinear o perfil de competências para atuação nas relações internacionais.


 

Programa do Curso
 

  • Emergência das Relações Internacionais.

  • As Relações Internacionais entre a cooperação e o conflito.

  • A dimensão supranacional. Exploração Internacional: o contexto da América Latina.

  • Do Internacional ao Global: novos temas das Relações Internacionais.

  • A Inteligência Cultural.

 

 

Metodologia
 

O acesso ao curso será feito através de um rápido cadastro e a criação de um perfil para o Ambiente Virtual de Aprendizagem, onde todo material estará disponibilizado.

Os conteúdos a serem estudados de forma livre pelo cursista estarão disponíveis em forma de caderno de estudos, videoaulas, slides das informações apresentadas nas videoaulas, podcasts e material complementar (vídeos e textos considerados relevantes para os estudos do cursista).

Para promover o aprofundamento das discussões, os cursistas terão fóruns de discussão à disposição no ambiente virtual. Neles, serão discutidos os conteúdos disponibilizados, além da troca de informações e conhecimentos.

 



Processo de Avaliação
 

O curso prioriza a autoavaliação pelo participante, uma vez que oportuniza o esforço de aprendizagem autônoma. Ao mesmo tempo, a interação aluno-aluno é valorizada, favorecendo a troca de conhecimentos e experiências.

A partir dos estudos desenvolvidos no ambiente, o cursista poderá desenvolver as atividades propostas para o curso. As atividades serão resolvidas em um fórum de perguntas e respostas criado para este fim. Após postar sua resposta, o aluno terá acesso a uma resposta padrão elaborada pelo professor conteudista, bem como às demais respostas dos colegas. Isto permitirá ao cursista a comparação da sua resposta com a do professor e seus pares.

 



Certificação

 

O processo de certificação se dará pelo registro do progresso do cursista no que tange à resolução das atividades. Responder todas as atividades propostas dará automaticamente o direito à certificação.

Sendo assim, o cursista poderá emitir um certificado online de conclusão de Curso de Relações Internacionais pela Universidade Estadual do Maranhão, perfazendo carga horária total de 60 (sessenta) horas. O certificado será disponibilizado em link específico para o participante, que poderá imprimir o documento, conforme sua conveniência.


 

Referencial Bibliográfico do Curso

ALVES, José Augusto Lindgren. Relações Internacionais e temais sociais: a década das conferências. Brasília: Funag/Instituto Brasileiro de Relações Internacionais, 2001. 

______. Os direitos humanos como tema global. São Paulo: Perspectiva, 2003. 

ARON, Raymond. Paz e guerra entre as nações. Tradução de Sérgio Bath. Brasília: Editora da UnB, 1985.
BATH, Sérgio. O que é diplomacia? São Paulo: Brasiliense, 1989. 

BECK, Ulrich. O que é globalização? Equívocos do globalismo, respostas à globalização. Tradução de André Carone. São Paulo: Paz e Terra, 1999. 

BEDIN, Gilmar Antonio. O Realismo Político e as Relações Internacionais. In: BEDIN, Gilmar et al. Paradigmas das relações internacionais. Ijuí: Editora Unijuí, 2004. p. 57-133. 

BIANCHERI, Boris. Conciliar o mundo – a diplomacia na era global. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 

BONANATE, Luigi. A guerra. Tradução de Maria Tereza Buonafina e Afonso Teixeira Filho. São Paulo: Estação Liberdade, 2001. 

DIAS, Reinaldo. Relações Internacionais: introdução ao estudo da sociedade internacional global. São Paulo: Atlas, 2010. 

DREYER-EIMBCKE, Oswald. O descobrimento da Terra: história e histórias da aventura cartográfica. Tradução de Alfred Josef Keller. São Paulo: Edusp/Melhoramentos, 1992. 

FONSECA JR., Gélson. O interesse e a regra: ensaios sobre o multilateralismo. São Paulo: Paz e Terra, 2008. 

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Porto Alegre: L&PM, 2010. 

GIDDENS, Antony. O Estado-nação e a violência. Tradução de Beatriz Guimarães. São Paulo: Edusp, 2001. 

GRIFFITHS, Martin. 50 grandes estrategistas das relações internacionais. Tradução de Vânia de Castro. São Paulo: Editora Contexto, 2004. 

HERÁCLITO. Fragmentos contextualizados. Tradução de Alexandre Costa. Rio de Janeiro: DIFEL, 2002. 

HERZ, Mônica; HOFFMANN, Andrea Ribeiro. Organizações internacionais – história e práticas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. 

HOBBES, Thomas. Leviatã. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1979. 

HUNT, Lynn. A invenção dos direitos humanos: uma história. Tradução de Rosaura Eichenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. 

HUNTINGTON, Samuel. “Choque de civilizações?”. Política Externa. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra/Núcleo de Política Internacional e Comparada da USP, v. 2, n. 4, mar./abr., 1994, p. 120-141. 

INKSON, Kerr. THOMAS, David C. Inteligência Cultural: técnicas necessárias para negócios globais. São Paulo: Record, 2006. 

KANT, Immanuel. Para a paz perpétua: um esboço filosófico. In: GUINSBURG, J. (Org.). A paz perpétua, um projeto para hoje. São Paulo: Perspectiva, 2004. p. 31-87. 

KRITSCH, Raquel. Soberania: a construção de um conceito. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002. 

LEFORT, Claude. Nação e soberania. In: NOVAES, Adauto (Org.). A crise do Estado-Nação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. 

MAQUIAVEL, Nicolau. O príncipe, e dez cartas. Tradução de Sérgio Bath. Brasília: Editora UnB, 1999. 

MENEZES, Alfredo da Mota; PENNA FILHO, Pio. Integração regional: os blocos econômicos nas relações internacionais. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. 

NOGUEIRA, João Pontes; MESSARI, Nizar. Teoria das relações internacionais – correntes e debates. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. 

REMARQUE, Erich Maria. Nada de novo no front. Tradução de Helen Rumjaneck. Porto Alegre: L&PM, 2004. 

RODRIGUES, Gilberto M. A. O que são relações internacionais. São Paulo: Brasiliense, 2009. 

RODRIGUES, Thiago; ROMÃO, Wagner (Org.). A ONU no século XXI: perspectivas. 2. ed. São Paulo: Desatino, 2011. 

SEITENFUS, Ricardo. Manual das organizações internacionais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1997. 

SMITH, Dan. Atlas dos conflitos mundiais. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2007. 

SUN TZU. A arte da guerra. 2. ed. Coleção L&PM Pocket; v. 207. Porto Alegre: Editora L&PM, 2012. 

WEBER, Max. Ciência e Política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 1993.

Última atualização: quarta, 9 Mar 2016, 13:24